Urgência 5

Escrito por Breno Mendes

V Urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos

V. Urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos
Coordenador: Pe. Francisco Edinardo e Irmã Rozilda

Programa 1- Ação Social da Igreja na Diocese de Sobral

O Projeto Pastorais Sociais: um clamor profético, surge como um desafio às Pastorais Sociais da Diocese de Sobral, organizar-se e assumir o profetismo colocando-se sempre mais ao lado dos “filhos preferidos de Deus, os mais pequeninos”.
Como já testemunhava a experiência do Povo da Aliança. Javé, o Deus dos pobres escuta o clamor de seu povo, conhece o seu sofrimento e se aproxima para libertá-lo (Ex 3,7). Como diz a Doutrina Social da Igreja (DSI): “A missão evangelizadora e salvífica da Igreja abraça o homem na plena verdade da sua existência, do seu ser pessoal e, ao mesmo tempo do seu ser comunitário e social” ( Compêndio DSI, nº 82 ).
Com a execução do referido projeto, o clamor do povo não ficará no vazio, mas encontrará na Igreja o ícone vivente do Bom Pastor que afirma: “Eu vim para que todos tenham vida, e vida plena” (Jo 10,10). Ao contemplar as sagradas escrituras é visível o quanto a situação social do povo é importante para Deus. Já em Ex 18, 13-27, há toda uma preocupação em organizar a comunidade para que resolva seus problemas. Os profetas não conseguiam calar diante das situações de injustiças e opressões. A denúncia social e defesa da vida foram aspectos marcantes na pregação profética.
O Papa Francisco em Evangelii Gaudiun, afirma: “Assim como a igreja é missionária por natureza, também brota inevitavelmente dessa natureza a caridade efetiva para com o próximo, a compaixão que compreende, assiste e promove”(EG Nº 79)
Quanta relevância tem dentro da realidade Diocesana de Sobral, o projeto: Pastorais Sociais, um clamor profético.


V Urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos
Programa 2- Cidadania a serviço da Vida Plena


V Urgência - Igreja: Igreja a serviço da vida plena para todos
Programa 3 - Criar o Conselho Diocesano e paroquial de Leigos;

Conceito e vocação do leigo na Igreja
Segundo a Constituição Dogmática Lumen Gentium – sobre a Igreja - “por leigos entendem-se aqui todos os cristãos que não são membros da sagrada Ordem ou do estado religioso reconhecido pela Igreja, isto é, os fiéis que, incorporados em Cristo pelo Batismo, constituídos em Povo de Deus e tornados participantes, a seu modo, da função sacerdotal, profética e real de Cristo, exercem, pela parte que lhes toca, a missão de todo o Povo cristão na Igreja se no mundo” (LG, n. 31). “Cada leigo deve ser, perante o mundo, uma testemunha da ressurreição e da vida do Senhor Jesus e um sinal do Deus vivo. Todos em conjunto, e cada um por sua parte, devem alimentar o mundo com frutos espirituais (cfr. Gl. 5,22) e nele difundir aquele espírito que anima os pobres, mansos e pacíficos, que o Senhor no Evangelho proclamou bem-aventurados (Mt. 5, 3-9). Numa palavra, «sejam os cristãos no mundo aquilo que a alma é no corpo” (LG, n.38) “Por vocação própria, compete aos leigos procurar o Reino de Deus tratando das realidades temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no mundo, isto é, em toda e qualquer ocupação e atividade terrena, e nas condições ordinárias da vida familiar e social, com as quais é como que tecida a sua existência. São chamados por Deus para que, aí, exercendo o seu próprio ofício, guiados pelo espírito evangélico, concorram para a santificação do mundo a partir de dentro, como o fermento, e deste modo manifestem Cristo aos outros, antes de mais pelo testemunho da própria vida, pela irradiação da sua fé, esperança e caridade. Portanto, a eles compete especialmente, iluminar e ordenar de tal modo as realidades temporais, a que estão estreitamente ligados, que elas sejam sempre feitas segundo Cristo e progridam e glorifiquem o Criador e Redentor.” (LG, n.31). A organização do laicato é fundamental porque é sinal de comunhão na vida da Igreja, a sua vocação peculiar os coloca no meio do mundo e à frente de tarefas nos mais variados campos, tais como: política, sociedade, economia, cultura, ciências e artes.A formação dos leigos, direito e dever de todos, é um dos mais importantes desafios, para que todos possam descobrir claramente a sua própria vocação e missão de protagonistas da Nova Evangelização. Eles precisam se reconhecer como formadores de opinião, necessitando sempre do suporte e acompanhamento nos cursos, grupos de estudos, encontros de espiritualidade. Por estas justificativas, achamos ser digna e justa uma organização do laicato diocesano de Sobral.

Categoria: